sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Altas Velocidades com e sem consciência…

 

Fiquei impressionado ao ler a notícia abaixo sobre o comboio de alta velocidade na China. Não apenas pela imponência do projecto em si mas tembém e principalmente pelo desenvolvimento incrivelmente acelerado em que aquele país se encontra. Sem freio nos dentes.
Enquanto que na Europa, e  depois de discussões sem fim, se planeiam ter 20.000 kms de linha AV construídos no ano de 2025 – em que Portugal participará com 1.000 – a China projecta já a construção de mais 13.000 kms nos próximos três anos. Tudo Made in China.

Já era facto assumido que a China, brevemente, passará a ser a potência dominante da ordem mundial.

Mais uma página da História a ser voltada. A Vida é uma evolução constante em que tudo tem um princípio e um fim. Como o será o Universo, como o é a Condição Humana. Há que dar valor e aproveitar o que temos – mesmo que do simples facto de respirarmos se trate – pois tudo é efémero. Infelizmente, temos o terrível hábito de só dar valor às coisas que perdemos e nunca valorizar o que temos. Heureusement, toda a regra tem a sua excepção. E eu faço por isso.

 

___________________________________________________

O triunfo da alta velocidade na  China

 

China High Speed Train Os painéis electrónicos, as portas de embarque e os constantes avisos sonoros aos passageiros são iguais à de qualquer aeroporto. Mas o que sai da nova Estação Pequim-Sul é o CRH-3, o comboio de alta velocidade chinês.

 

Suavemente, quase sem trepidação, o CRH-3 percorre em meia-hora os 120 quilómetros que separam Pequim de Tianjin, o maior porto do norte da China.

O comboio, fabricado na China, já atingiu 394 quilómetros/hora, num ensaio efectuado há dois anos, mas habitualmente não excede 330 quilómetros/hora.

Como os passageiros podem ver num quadro electrónico montado em cada carruagem, o CHR-3 passa dos zero aos 266 quilómetros/hora em apenas cinco minutos e menos de dez minutos depois de ter partido da Estação Pequim-Sul já ultrapassou os 310 quilómetros/hora.

Na auto-estrada paralela à linha-férrea, todos os automóveis ficam rapidamente para trás, como se estivessem parados.

É a primeira linha chinesa de alta velocidade do país, inaugurada em Agosto de 2008, e o ponto de partida para a revolução ferroviária em curso na China.

A própria Estação Pequim-Sul, uma construção oval desenhada por uma empresa de arquitectos de Hong Kong, com uma área de 320.000 metros quadrados e 3.246 painéis solares, é um monumento.

Nos próximos três anos, a China tenciona construir 13.000 quilómetros de linha-férrea de alta velocidade, mais do que a rede existente actualmente no mundo inteiro.

Um dos mais importantes troços da empreitada, orçado em 220.900 milhões de yuan (22.000 milhões de euros), é a linha Pequim-Xangai, com 1.813 quilómetros de comprimento, cuja construção deverá estar concluída em 2011

A nova linha reduzirá para cinco horas (metade do tempo actual) a viagem entre as duas principais cidades do país e poderá transportar anualmente 80 milhões de passageiros e mais de 100 milhões de toneladas de carga, indicou o ministério chinês dos Caminhos-de-ferro.

Sessenta comboios saem diariamente de Pequim para Tianjin, entre as 06:30 e as 23:00. "s 09:00, num dia de semana, os comboios andam cheios, mesmo na primeira classe, que custa 69 yuan (cerca de 7 euros) - mais um euro (10 yuan) que um bilhete de 2ª classe.

Cada comboio pode transportar cerca de 600 passageiros.

As 24 plataformas da nova estação têm capacidade para 30.000 passageiros por hora, ou seja, cerca de 240 milhões por ano.

O governo da China imperial começou por se opôr à introdução do caminho-de-ferro, alegando que o comboio ("huo che", veículo de fogo, em chinês) iria "destruir a harmonia" do país.

No final do século XIX, quando os Estados Unidos já tinham cerca de 300.000 quilómetros de vias-férreas, a rede ferroviária chinesa não chegava a 1000 quilómetros - muito menos que o Japão, a Rússia ou a Índia.

Desta vez a China não quer ficar para trás.

_____________________________________________________

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Dor vs. Amor

 

Diz-se muito que a Dor vem com o Amor…

Mesmo que seja verdade, abençoado seja…

Verdade ?

:)))

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

MILF

 

nttf-milf hunter

 

Gostava de ter uma t-shirt assim…

 

Alguém sabe onde se pode encontrar uma… ?

 

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Nem sempre 2+2 é igual a 4…

 

Politicamente, não sou nem de direita, nem de esquerda, nem do centro, nem de cima, nem de baixo. Sou sim pelo que acredito ser justo, honesto, de boa fé, coerente.

Isto vem a propósito de uma notícia que li sobre os resultados do terceiro trismestre de 2009 da Corticeira Amorim: lucro líquido de 5,7 milhões de euros, um aumento de 60,7%, comparando com período homólogo de 2008 (3,6 milhões).

Muito bom, sim. Sem dúvida. Só que, em Fevereiro passado, esta empresa despediu 200 trabalhadores com a desculpa da crise global. Mais: todos os anos a Corticeira  Amorim tem acumulado centenas de milhões em lucros pelo que não seria de estranhar que, mesmo as coisas não fossem muito bem este ano, pudessem aguentar esses mesmos 200 trabalhadores até a dita crise passar. Pelo menos, tentavam. A isto se chama ganância do lucro cego!

Grande parte das vezes, as empresas esquecem-se de que não são apenas máquinas de fazer dinheiro, esquecendo todos aqueles que contribuiram para tal enriquecimento… pois é… e lá vem a tal condição humana outra vez ao de cima (felizmente existem excepções mas isso apenas serve para confirmar a tal máxima “toda a regra tem a sua excepção”)… O aproveitar determinadas circunstâncias para, a coberto destas, se fabricarem razões ou explicações diversas para quaisquer comportamentos mas que, na realidade, nada têm a ver a causa invocada … é algo a que assistimos no nosso dia-a-dia, em todos os aspectos, infelizmente…

Ah! e somos todos nós que estamos a pagar a estes 200 trabalhadores o subsídio de desemprego, para não dizer mais… para não falar nos seus dramas familiares… Será que os políticos ou governo não veêm ou não querem ver tal escândalo ???

sábado, 31 de outubro de 2009

Corrupção… faz parte da condição humana…

 

Estive para iniciar este post com “E mais uma desilusão…” mas depois pensei melhor e achei melhor não o fazer. Afinal, não foi mais uma desilusão mas sim uma constatação de facto e uma contínua certeza de que a condição humana é, em regra, tão fraca… e falo do mais um caso de corrupção, “Face Oculta”, em que várias pessoas pertencentes a cargos públicos e, por consequência, a partidos políticos, estão envolvidos. Neste caso, até falamos do PS mas até podia ser qualquer outro. É PS porque é o que está agora no poder. E os outros partidos nem comentam muito esta situação pois sabem que têm telhados de vidro. Quando são eles a estarem no poleiro, fazem a mesma coisa. E por todos eles saberem disso, calam-se em casos destes.

Lembro-me de uma série da BBC há uns anos, Yes Prime Minister, sátira à política, em que, quando qualquer escândalo vinha ao de cima no governo, a consequência imediata era “abra-se um inquérito”. Pretendia-se assim acalmar a opinião pública. Só que, como no vida real, os resultados desses mesmo inquéritos nunca eram conclusivos.

Processos como Casa  Pia, Portucale, Submarinos, Apito Dourado, os ligados ao poder local (este fim de semana soube-se de outro, um vereador da Câmara do Porto que queria €400.000 para favorecer uma empresa para ganhar um concurso), BCP, BPN e BPP, Freeport, entre outros, têm vindo a ser indentificados mas, depois e no fim, nada se conclui. Acabam por se safarem quase todos. Só os pequenos é que sofrem.

Não admira que existam tantas empresas, fundações e institutos para todos os gostos. São necessárias para empregar todos aqueles que não têm lugar no governo e também – não esquecendo – os dos outros partidos. Um acordo tácito existente no mundo da política.

E depois vêm-nos dizer que todos devemos votar… que é um dever…

Uma tristeza mesmo… só concluo, como já o fiz há  muito tempo, que assim é a condição humana… seja em Portugal ou outro país. E se existem alguns em que a corrupção é menor, é apenas fruto do grande controlo existente. Infelizmente, parece que só com algo parecido com um 1984 do George Orwell poderá ser possível impedir tais abusos e, mesmo assim, os que estão nas chefias enchem-se sempre…

Uma tristeza mesmo…

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Hetero/Bi/Homosexualidade

 

Todos nós já ouvimos falar, vezes sem conta, da bisexualidade. Não me espanta, mesmo nada e à partida, que tal característica se manifeste talvez em mais pessoas do que alguma vez possamos imaginar tendo em conta que, aquando do desenvolvimento do feto, estão presentes ambos os sexos para depois um prevalecer sobre o outro. Daí, termos o homem com o pénis e a mulher com a vagina, mantendo, cada um deles, as componentes masculina e feminina, em maior ou menor proporção. Tem casos, inclusivé e por problemas, em que, à nascença, o sexo não vem claramente definido, tornando-se necessário recorrer a intervenção cirúrgica para implantar pénis ou vagina e, assim, definir o sexo não naturalmente. Casos podem existir em que a escolha é mal feita e, posteriormente, uma pessoa a quem foi implantada um pénis – homem – vir a ter comportamentos e tendências de mulher.

E porque estou com estas divagações ? Porque sempre me senti curioso em saber qual o âmbito da bisexualidade, ou seja, se algo meramente físico ou também emocional e em que níveis. Casos são conhecidos em que uma pessoa dita bisexual se assume como tal emocionalmente mas também outros casos apenas no campo físico, e tudo isto muitas vezes dependendo das circunstâncias.

Jà foram feitos estudos sem conta sobre o tema e um deles passa por Kinsey e seu relatório, em que são recusadas as três classificações habituais e estanques – heterosexual, bisexual e homossexual – para passar a uma diferente escala composta por 6 graus.

A Escala de Kinsey consiste mais ou menos nisto:

0 - exclusivamente heterosexual
1 - reacções e experiências quase totalmente heterosexuais, embora circunstancialmente possa reagir em relação ao mesmo sexo
2 - predominância de reacção heterosexual, embora responda a estímulos homosexuais e tenha experiências homosexuais mais ocasionais
3 - bisexual na sua atitude habitual
4 - maior reacção a estímulos homosexuais do que a heterosexuais
5 - quase totalmente homosexual, na sua reacção psicológica e na prática, com contactos ou desejos heterosexuais muito ocasionalmente
6 - exclusivamente homosexual

Durante toda a vida, desde a adolescência até ao à 3ª ou 4ª idade (pois… já vamos na 4ª idade ou algo assim), grande parte das pessoas tiveram já manifestações sexuais de todos os tipos – graus da escala Kinsey - oscilando pelos vários níveis, com passagem ou não ao contacto físico. Eu próprio, em determinadas alturas da vida, senti-me um bocado perdido e confuso, principalmente tendo em conta a tal cultura que nos foi incutida desde a nascença. E como se costuma dizer, quem não tenha experimentado tais sensações pelo menos uma vez, que atire a primeira pedra…

Nem vou aqui falar dos conceitos de sexo, procriação, igreja, prazer, sociedades e suas culturas, certo ou errado, etc. E porquê? Porque em cada um de nós está toda uma vida plena de  sentires, emoções, sentimentos, não controláveis, que, com ou sem sentimentos de culpa, são determinantes para o nosso dia-a-dia e nos fazem ultrapasssar todos esses conceitos.

Tem um termo que se usa bastante em certos círculos: bicurioso/a. Calculo que aqui se pretenda falar em bisexualidade apenas em termos físicos, desprovido de qualquer sentimento. Sexo puro, apenas. Claro que é bastante mais normal encontrar situações destas entre mulheres, coisa que os homens adoram. Mas já o contrário é bem mais restrito. Lá está ! É a tal cultura…

Uma coisa não sei: quando se fala em bisexual, em grande parte das vezes, será que se fala mais em termos sexuais, puro e simples, físico, ou sentimental também ? Ou seja, sexo apenas, como experiência e porque pode ser bom ou também gostar de alguém do mesmo sexo ao ponto de terem uma relação também de amor?

E para finalizar… tal como eu já me interroguei – na minha intimidade – em que nível da escala de Kinsey se situa/te situas ?
(é para pensarem e não responderem aqui, claro, mas se quiserem, be my guest…)

ihihihihihihihihihiihihihihihih

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Vida pode ser mais fácil…

 

 

… se não esquecermos que …

 

as pessoas estúpidas fazem parte da vida…

e aqui refiro-me aos chamados “espertinhos da vida” e não aos que, infelizmente, são limitadas por natureza 

 

 

domingo, 4 de outubro de 2009

Abençoadas montanhas russas ?

NagashimaJapao800

E assim são as relações entre pessoas… verdadeiras montanhas russas… as que não forem, não sequer podem ser chamadas de verdadeiras relações…

Um querer e não querer terrível… preferível a uma estrada sem curvas, plana, sempre igual…

Verdade ?

PS: Ok, tudo o que é demais é um exagero, sei, mas de qualquer forma não deixa de ser verdade. Sim ?

 

Declaração de Voto

 

Já anteriormente aqui deixei expressa a minha aversão por discussões, no mau sentido da palavra. Versem elas o tema que seja, simplesmente não gosto. Estou sempre na minha e aceito que cada um possa estar na sua. A aversão aumenta quando se trata de temas como religião ou e principalmente, política. Subjectividades são coisas que merecem e têm que ser respeitadas.

Vem esta declaração a propósito de um comentário que li no Expresso desta semana sobre investimento em Portugal a que o autor, Nicolau Santos, chamou “Investir no Manicómio” e que mais à frente transcrevo.

Dizem as regras da democracia que o voto é secreto. Sim sim, deveria ser e até levava a sério tal regra há anos atrás quando ainda acreditava ou tinha esperança que a política poderia ser algo de muito sério. Só que a política é feita por pessoas – leia-se condição humana -  e, quando não existem métodos de controlo muito sérios e eficazes, o descalabro é total pela procura constante de benefícios pessoais, esquecendo tudo o resto.

O voto tem sido algo hilariante, com escolhas que nada têm a ver com os programas de cada partido ou candidato. As opções de voto vão mudando de eleição para eleição ao sabor do chamado “voto útil”. Eu próprio já votei em vários partidos e, ultimamente e para não me acusar de preguiça ou de um “não te queixes agora porque nem votar foste”, tenho votado em branco. Ou seja, através do boletim de voto, anuncio ao mundo que estou farto de todos eles, não colocando a minha cruzinha em qualquer partido.

Este ano foi diferente. Nunca votei no PCP nem no Bloco de Esquerda. Resta-me, portanto, CDS, PSD e PS. Já andei por todos eles. Desta vez, só me resolvi dois dias antes das eleições (falamos de legislativas 2009). Fui pensando… O Paulinho dos submarinos e das feiras, não dá para pensar pois é um partido  em que tudo gira à volta de uma só pessoa. PSD tem andado virado ao contrário, vivendo das suas lutas internas (Ferreira Leite a dar tau tau ao Passo Coelho e, por consequência, a todos os seus seguidores), principalmente desde que o Barroso foi à sua vida e deixou o Santana dos viadutos em seu lugar. PS é complicado mas, pelo menos, haja quem mande e, neste caso, lá anda o Sócrates – mal ou bem – em todo o seu esplendor. No mínimo, as responsabilidades estão assumidas, com a maioria que teve estes quatro anos, sem assim haver motivo para invocar culpas aos outros partidos. E, por todos estes motivos, resolvi votar PS desta vez, numa tentativa de ajudar a alcançar uma nova maioria que, a não ser conseguida, iria conduzir – como já está a conduzir – a uma bagunça sem precedentes e que em nada faz falta a este período de “início de saída da tão e bem chamada crise internacional”. A maioria não foi alcançada, todos os outros partidos reclamaram vitória por tal motivo, todos muito contentes, e agora “todos” se lamentam com o cenário pelo qual votaram. Realmente, é, no mínimo, hilariante !!!

Moro em Lisboa e, quanto às eleições das autarquias, fico também um bocado confuso. Vejo um António Costa a mandar, nesta altura, carta aos seus funcionários dizendo que os vai aumentar com rectroactivos desde Janeiro 2009 enquanto o Santaninha maluco e dos viadutos aparece como possível alternativa. Lembro que António Costa diz que vai melhorar transportes públicos – pelo menos, diz – e isso sim, seria uma bela solução. Só que, com tudo o mais que tem feito, lá fico outra vez a pensar se vou votar em branco ou nele. Se nele, a ideia seria uma maioria absoluta para depois não ter desculpas que foi impedido pelos outros partidos de não ter feito mais porque não o deixaram. Enfim, a mesma lógica das legislativas.

Porra ! Acho mesmo que algumas regras na dita democracia deveriam mudar. Posso estar a dizer grande asneira mas se o partido vencedor, independentemente das percentagens, pudesse governar, durante o período para que foi eleito, como maioria, tudo seria bem mais fácil. Claro que teriam que existir mecanismos de controlo mas que seria bem mais fácil, isso sim.

Poderia alongar-me bem mais mas não vale a pena. É a tal coisa… discussões de política são sempre endless… e, neste meu caso, foi mais uma opinião, talvez um pouco distorcida pelo tal comentário que falei acima e aqui a seguir transcrevo:

Investir no Manicómio

Imagine que chega a um país interessado em investir e lhe dizem que o Presidente e o primeiro-ministro estão politicamente em guerra aberta. Que o Governo recém-eleito pode cair dentro de seis meses a dois anos. Que o Presidente da República pode não ser reeleito dentro de dois anos e meio. Que a economia está numa profunda recessão (3,7%) que o défice orçamental  rondará os 7%, que o desemprego atinge 600.000 pessoas numa população activa de 5,2 milhões, que o endividamento líquido externo duplicou numa década e representa mais de 100% do PIB (produto interno bruto, para quem não saiba ou se recorde – nota de shelyak). Que faz você ? Nem sai do aeroporto. Regressa ao seu país no primeiro voo que houver.

Infelizmente, este país é uma ficção. Mais infelizmente é o nosso. E, no plano económico, a imprevisibilidadde é absoluta. O que vai acontecer com os grandes investimentos públicos ? Avança o TGVe é adiado o novo aeroporto ? E a terceira travessia do Tejo ? Todos os outros compromissos se mantêm (novas concessões rodoviárias, extensão das redes dos metros de Lisboa e Porto, dez novos hospitais públicos, novos compus de Justiça e novas prisões ? Ou o apoio (e/ou abstenção) do PSD e CDS à proposta do orçamento do EStado 2010 implicará , como contrapartida, que o PS deixe cair algumas destas obras ?

E que Orçamento vamos ter ? Um que continue a apoiar empresas e famílias face à crise e ao desemprego ? Ou, à semelhança de Espanha, vai haver desde já subida de impostos e diminuição de benefícios fiscais ?

A crise já tinha levado os agentes económicos a serem muito prudentes. A instabilidade política vai agravar esta prudência – e os investimentos serão adiados de novo. O resultado, inevitável mas muito pouco desejável, é que a nossa retoma ocorrerá depois e de forma mais lenta que a dos outros países europeus. Ninguém investe em manicómios.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

69 – Hipocrisias da Sociedade

 

69

Pois é… esta faz-me lembrar o anúncio que vi em Abril de 2007 ( credo! como o tempo voa!!!) em que não resisti a fazer então um post a que dei o nome de 20 cms de filipinos.

Já devem ter visto este anúncio, pelas ruas e em destaque,  ao canal de televisão da Sony, que sintoniza no 69. Claro que tinham que aproveitar  a ideia do “69” – que até acho gira – para chamar a atenção das pessoas em geral pois sabem que sexo vende!!! (vejam o anúncio dos 20 cms – cliquem lá em cima). Isso sabemos nós há muito tempo!!! Só o que chateia é a tal hipocrisia da sociedade (ok, sei que é um cliché mas é verdade) que diz “faz o que eu digo e não o que eu faço”. Andam sempre todos à procura do mesmo mas nunca quando em “conversas de família”. São todos muito púdicos assim…

Adorava poder ler os pensamentos das pessoas com quem me cruzo na rua… o que vai naquelas cabecinhas no que diz respeito a sexo… de certeza que iria concluir que, afinal, não sou o único “tarado” à face da terra…

Ora foda-se!!!

Notinha: e eu que até gosto tanto deste número…. porque será ?

domingo, 13 de setembro de 2009

Teimosia

 

Volante 

Teimosia
nome feminino

1.qualidade de teimoso
2.qualidade do que não muda facilmente de opinião ou de atitude; pertinácia
3.característica do que não desiste facilmente; insistência
4.teima; birra

 

Engraçada a associação de ideias que por vezes fazemos… neste caso, por um simples olhar para o bocado de pele que  se ia soltando no volante (grrrrrrrrrrrr um peugeot relativamente novo e já assim!!! mas isso são contas de outro rosário). Começou por se ter formado uma pequena bolha, sem razão aparente, para se ir alastrando até ao ponto em que agora se vê. E se tivesse tentado resolver logo que a bolha apareceu, o volante não estaria agora neste estado.

E lembrei-me (estou maluco não estou ?) da teimosia, em si, quando entendida como no ponto 4 (teima; birra) e da qual algumas pessoas não são dela capazes de se livrarem. Por vezes, por um pequeno nada mas também dependendo muito do interlocutor/a, pode descambar numa discussão com consequências tantas vezes imprevisíveis ou mesmo irrecuperáveis.

Mas como digo e quase todos sabemos, em regra, um teimoso (ou teimosa) não sobrevive sózinho. Precisa de um outro para dar largas a esta “brilhante” qualidade. Por mim, não me tenho na conta ser teimoso. Quando tenho a certeza de alguma coisa, expresso-a e, se for aceite, muito bem. Se não, muito bem na mesma. Cada um na sua. Eventualmente e se entrar em dúvida perante uma certeza idêntica à minha da parte contrária, posso ir certificar-me se estou certo ou errado e, posteriormente e conforme o resultado, comunicá-lo à tal parte contrária (se eu achar que vale a pena pois tem pessoas que nem esse trabalho valem).

Será que a teimosia, como sinónimo de teima ou birra, estará associada a uma necessidade de auto-afirmação ?

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Descanso parcial…

Ultimamente tenho andado a tratar muito mal este meu blog mas nem sempre se tem a cabecinha disponível para andar por aqui. Acho que são fases, como todos nós temos relativamente a tudo na vida.

Deixo-vos com umas coisas curiosas que deixam ver como este mundo, ou melhor, a condição humana, é tão estranha…

1. Tribunal nos USA

Cinto de segurança
Acidente de viação no Estado do Texas. Uma rapariga, de 23 anos, conduzia um Honda a alta velocidade. Ao seu lado acompanhava-a uma amiga de 20 anos, sóbria. O carro acabou por embater contra um poste de electricidade, caiu para um lago e a condutora  morreu de imediato. Os familiares da vítima mortal pediram uma indemnização à marca de automóveis japonesa por fabricar um cinto de segunrança “difícil de desapertar por um condutor alcoolizado debaixo de água”. Surpreendemente, o Supremo acabou por dar razão aos pais da vítima mortal.

Café a fever
Uma mulher do Estado de New Jersey entornou o café bastante quente no seu colo, numa das suas inúmeras idas ao McDonald’s. Resultado: acabou no hospital com queimaduras de terceiro grau. O tribunal norte-americano deu razão a esta cidadã norte-americana e conceceu-lhe uma indemnização correspondente a dez mil euros. O juiz considerou que a empresa deveria ter tido cuidado na temperatura da bebida.

2. Bairro Alto – Lisboa

A partir do próximo fim-de-semana, e por acordo entre os comerciantes locais+juntas de freguesia e a Câmara Municipal de Lisboa, os bares e restaurantes no Bairro Alto vão passar a estar abertos até às 3h00 e não 2h00 como até agora. Ainda tentaram até às 4h00 mas, por enquanto, ainda não deu. Vão ser igualmente criadas 15 novas esplanadas. Restaurantes passam a estar abertos a partir das 12h00. Um reforço policial gratuito para os comerciantes vai acompanhar estas novas medidas.

3. Isaltino Morais – Autarca de Oeiras

Foi condenado a 7 anos de prisão e perda de mandato de Presidente da Câmara por todas as negociatas que fez “debaixo da mesa” em proveito próprio. Vai recorrer, claro o que lhe vai dar uma grande margem de manobra. Já disse que ia concorrer novamente à presidência da cãmara.

Os concorrentes de outros partidos já disseram que, durante a campanha, não vão comentar esta condenação… Pudera, digo eu… têm todos telhados de vidro… uma vergonha…

Só Marques Mendes, em 2005, quando na presidência do PSD, rejeitou estas vergonhas não deixando que Isaltinho e o maluco do Valentim Loureiro se candidatassem pelo PSD. E mais… propôs um decreto-lei que impedisse os políticos envolvidos na justiça – acusados de ilegalidades – se pudessem candidatar a tais lugares. Claro que a Assembleia, a princípio, concordou – para não dar muito nas vistas – mas o certo é que nada fez para andar para frente com tal decreto-lei.

Gostava de estar vivo daqui a uns 200 anos para ver se o sistema político actual ainda estará então presente. Será que iremos parar ao 1984 do George Orwell ou outro modelo político qualquer que impeça todas estas vergnhas ? Duvido muito… A condição humana é como é e nunca haverá grande volta a dar…

Felizmente que – e espero que assim continue a ser – continuarão a existir excepções que confirmem as regras…

terça-feira, 7 de julho de 2009

Os mistérios de uma mente

 

Muito se tem escrito acêrca de Michael Jackson, numa homenagem que, polémica ou não, será justa por tudo o que fez e representou. O texto que aqui deixo, da autoria de Joaquim Quintino Aires, psicólogo clínico, Expresso de 4 Juho passado, impressionou-me não só pela análise feita sobre a lenda mas também e principalmente, sobre nós, mente humana, na generalidade. Enquanto lia e relia este documento, transpunha não só a minha pessoa mas também todos os humanos deste nosso planeta.
Sempre dediquei um grande espaço das minhas reflexões às pessoas em si, suas personalidades e relacionamentos. Não podia deixar passar este texto em claro…

“”””
O cérebro humano é um orgão complexo. Resultado de milhões de anos de evolução, nunca está pronto e, para se estruturar e desenvolver, necessita da relação com outros humanos. Humanos que apontem o mundo, os objectos, as pessoas, os sentimentos, os factos e os eventos, de modo a que a imagem de si próprio se construa como um reflexo daquilo que é na realidade. Um reflexo activo, vivo, subjectivo e em constante movimento, que se constrói mais e mais, aproximando-se cada vez mais da realidade. Como “espelho” que serve a esse reflexo, que no fundo será a psique, lá estão os outros.

No afecto que nos dão, nos comentários que fazem aos nossos actos, encontra-se o outro lado da moeda, neste fascinante processo de construção da personalidade. Por um lado entra a força da nossa luta pela sobrevivência e do desejo de sermos amados, pelo outro a força da resposta que nos é dada por cada humano que nos é significativo. Do encontro das duas forças resulta esse reflexo psíquico, a personalidade, que não é mais do que uma descrição de nós mesmos para nós mesmos. E é com a personalidade,e pela personalidade, que agimos no mundo.

Michael Jackson mostrou ao mundo a brutalidade deste encontro de forças. Capaz de maravilhas que provovaram em tantos outros uma resposta que, porque criança, ainda não conseguia acolher. Vazio do afecto que os seus mais próximos não lhe souberam dar. Inteligente, aprendeu cedo a expressar com mais força a sua luta pela sobrevivência e o seu desejo de ser amado. E recebeu cada vez com mais força a resposta de tantos outros, que não sabia acolher. Parece que só não preencheu o vazio de afecto que os seus mais próxims nunca souberam, ou não quiseram, dar-lhe.

Incapaz de construir uma representação de si, acredito que não tivesse memória das plásticas que negava ter feito. Prisioneiro de uma solidão que poucos humanos conheceram, reagiu com euforia, expressão desesperada do vazio depressivo. Foi com angústia que assisti a uma reportagem sobre compras que mais parecia um surto maníaco. Restou-lhe entâo dar a outros com a força do desespero de quem precisa que lhe deêm. Por isso não temos dados suficientes para contar as associações de solidariedade que ajudou.

Mas o cérebro nunca confunde bens materiais com afecto, por isso conseguem ocupar o lugar deste. Voltou-se para a experiência mais profunda do conforto: o aconchego de uma mãe e de um pai. Fez dos dois e levou crianças para a sua cama, oferecendo-lhes o que certamente mais desejava que lhe dessem. Como psicólogo clínico, acredito absolutamente que apenas lhes deu afecto. O primitivo afecto que nunca teve e que, se em falta, não permite passar para o afecto de adultos.

“Bad” foi apenas uma música. Mas talvez ele nunca tenha percebido !
””””

 Michael Jackson – Bad (Vídeo)

Your butt is mine
Gonna tell you right
Just show your face
In broad daylight
I'm telling you
On how I feel
Gonna hurt your mind
Don't shoot to kill
Come on.
Come on.
Lay it on me
All right...


I'm giving you
On count of three
To show your stuff
Or let it be...
I'm telling you
Just watch your mouth
I know your game
What you're about


Well they say the sky's the limit
And to me that's really true
But my friend you have seen nothin'
Just wait 'til I get through...


Because I'm bad, I'm bad.
Come on.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
Come on, you know.
(Bad bad-really, really bad)
And the whole world has to answer right now
Just to tell you once again,
Who's bad...


The word is out
You're doin' wrong
Gonna lock you up
Before too long,
Your lyin' eyes


Gonna tell you right
So listen up
Don't make a fight,
Your talk is cheap
You're not a man
You're throwin' stones
To hide your hands


But they say the sky's the limit
And to me that's really true
And my friends you have seen nothin'
Just wait 'til I get through...


Because I'm bad, I'm bad.
Come on.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it.


(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it, you know.
(Bad bad-really, really bad)


And the whole world has to answer right now
(And the whole world has to answer right now)
Just to tell you once again,
(Just to tell you once again,)
Who's bad...


We can change the world tomorrow
This could be a better place
If you don't like what I'm sayin'
Then won't slap my face...


Because I'm bad, I'm bad.
Come on.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it, you know.
(Bad bad-really, really bad)


Woo! Woo! Woo!
(And the whole world has to answer right now
Just to tell you once again)


You know I'm bad, I'm bad.
Come on.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad.
You know it - you know it.
(Bad bad-really, really bad)
You know, you know, you know, you know, come on
(Bad bad-really, really bad)
And the whole world has to answer right now
(And the whole world has to answer right now)
Just to tell you once again,
(Just to tell you once again,)


You know I'm smooth, I'm bad.
You know it.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad baby.
(Bad bad-really, really bad)
You know, you know, you know it, come on
(Bad bad-really, really bad)
And the whole world has to answer right now
(And the whole world has to answer right now)
Woo!
(Just to tell you once again,)

You know I'm bad, I'm bad.
You know it.
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, you know hoo!
(Bad bad-really, really bad)
You know I'm bad, I'm bad you know it, you know
(Bad bad-really, really bad)
And the whole world has to answer right now
(And the whole world has to answer right now)
Just to tell you once again,
(Just to tell you once again,)
Who's bad?

domingo, 28 de junho de 2009

Idealismos…

 

Uma notícia fez-me recordar algumas cenas de séries televisivas americanas ligadas à saúde: doentes que davam entrada em hospitais eram, desde logo, questionados se  possuiam seguros de saúde e, em caso negativo, como poderiam pagar qualquer assistência ou intervenção mais séria que lhes fosse feita. Tudo se faz nos USA, sim, mas desde que se tenha dinheiro.

O sistema de saúde americano passa por seguros privados de saúde, negociados pelas empresas para os seus empregados que queiram aderir e cujo valor mensal pago por estes será inferior ao cobrado aos europeus, por via de impostos. Um sistema privado, portanto. Para os pobres, idosos/aposentados, deficientes e outros, o estado suporta as despesas através de dois sistemas oficiais, controversos por razões diversas.

Foi por este motivo que fiquei surpreso ao ler a tal notícia - e num país deste, supostamente o mais desenvolvido do mundo – no American Journal of Medicine, em que dizia:

“60% de todas as ruínas financeiras nos Estados Unidos, em 2007, deveram-se a despesas de saúde e em que três quartos dessas famílias tinham seguros de saúde”.

Em outro local, raparei nos valores anuais que os médicos por lá ganham, em média, anualmente: € 146.131 no caso de médico de família, € 258.292 um cirurgião e € 445.593 um neurocirurgião. Isto para não falar nos valores altíssimos cobrados pelas clínicas e medicamentos.

Na Europa e em Portugal, em particular, é o que sabemos. Diz a nossa constituição que todos temos direito a assistência de saúde gratuita, digna e eficaz e eficiente (esta de “eficaz e eficiente” são palavras minhas que tirei  do sentido geral do tal artigo da constituição). Bullshit! ou então Kiss my ass! como dizem os americanos. Em português, ora foda-se!

Há uns tempos, a minha filha partiu uma mão e, apesar de ter uma família de médicos, não quis recorrer a nenhum deles. Porque  (1) não gosto de pedir favores (2) quando se pede um favor, depois nunca se pode reclamar (3) fica-se em posição frágil a partir daí, tipo depois a ouvir, mesmo sem palavras “you owe me one” (4) nunca gostei de “cunhas”. E então fui a um hospital público, ou seja, serviço nacional de saúde.

Resultado: minha filha teve que ser operada. Puseram-lhe uma chapa a unir um osso partido. Foram meses de intervenções diversas e esperas sem fim. Depois de tudo tratado, uns tempos depois, começaram a aparecer-lhe dores. Voltámos ao hospital. A solidificação tinha sido mal feita. Era necessário partir o osso, retirar a chapa, recomeçar tudo de novo. Claro que fugi dali a setenta pés e lá fui falar com um médico da minha família que trabalhava num hospital privado. Teve que se partir o osso sim mas acabou por se resolver tudo e bem.

Enfim… armei-me em poeta idealista e o resultado foi o que foi. Isto no meu caso. E as outras pessoas que não têm alternativa…? têm que comer e calar…

 

Dia hoje dos espantos: como é possível o Cavaco aceitar marcar eleições paras as legislativas e autárquicas em dias diferentes, 27 de Setembro para as legislativas e 11 outubro para as autárquicas? praticamente, com 15 dias de diferença. Para algumas coisas, as economias de recursos  são importantes. Para outras, não (como dizia ao Almeida Santos). É tudo relativo, dependendo dos interesses de cada um.

Como diz um amigo meu…. E assim vai o mundo e eu acrescento (mais uma vez): Ora foda-se !!!

sábado, 27 de junho de 2009

Que noite esta!!! ufffffffff

 

Ontem distraí-me e, sem dar por isso, fui bebendo – estava em casa – uns vodkas limão. Estavam bem frescos e a saberem-me muito bem. Só hoje, ao acordar, notei que tinha abusado e bastante. De ressaca agora e ainda portanto. Um caso bem raro que foi. Beber sozinho e em casa até parece de um alcoólico. Há uns tempos largos atrás, aconteceu-me algo parecido mas aí foi whisky com red bull. Foi em outubro passado.

E assim ando pela casa hoje tipo zombie mas é bem feito para, numa próxima vez em que tal possa acontecer de novo, me faça mais facilmente recordar das consequências que estas coisas podem ter.

Estava confortavelmente deitado no sofá e resolvi rever o Casablanca. São sempre deliciosos aqueles 98 minutos de filme. O “Play it Sam” talvez seja das frases mais curtas e famosas de sempre.
O Amor é levado ao seu expoente máximo em que o egoísmo é posto de lado em nome da pessoa que se ama. Para seu bem.

 

 

Nunca me canso de rever esta cena…

segunda-feira, 15 de junho de 2009

83%

 

83% foi o aumento do tempo que os americanos passaram em sites de redes sociais no passado mês de Abril quando comparado com o mês correspondente do ano anterior.

Interrogo-me qual a razão de um aumento tão drástico. Desconheço o que se terá passado nos meses anteriores e posteriores. Posso imaginar que a tal crise tenha contribuído notoriamente para tal. Falta de dinheiro obrigou-os a sair menos de casa e, assim, procurar soluções alternativas para se distrairem. Fico curioso em saber se tal fenómeno se passará igualmente na Europa e, mais particularemente, em Portugal.

Uma coisa é verdade e em regra: o comportamento da sociedade americana tem-se reflectido, com uns anos de décalage, na Europa e resto de mundo. As relações que se vão criando com origem na net têm vindo a aumentar drasticamente, fruto de um dia-a-dia cada vez mais exigente em que pouco tempo livre nos deixa para, depois do trabalho, termos tempo para o lazer e, implicitamente, criar novas amizades pelo método tradicional, ou seja, olhos-nos-olhos.

Em particular e nosso país, existe ainda uma carga fortemente negativa, por parte de terceiros, sobre as relações iniciadas através da net. Uma carga que está relacionada com questões de segurança e, quiçá, com uma imagem de incapacidade de estabelecer contactos pelo via a que estávamos habituados, o chamado mundo real (como se a net fosse habitada por fantasmas, mas ok).

Por mim, nunca tive qualquer tipo de problema em criar amizades pela net. Considero-a, aliás, como um meio igual a tantos outros.  É preciso cuidado? Sim, é verdade. Mas não é muito diferente do mundo dito real. Há tempos escrevi sobre este tema – Amizades herdadas e escolhidas – e, de então (23 Julho 2007) para cá, apenas tenho confirmado, cada vez mais, a ideia que tinha.

 

quinta-feira, 11 de junho de 2009

De uma semana sem gás ao Last Tango in Paris…

 

As associações de ideias são por vezes engraçadas. Principalmente quando a ideia original é bem chata mas, no fim e neste caso, acabou-se por ultrapassar a situação inicial com um largo sorriso (nos lábios, claro).

Então, na penúltima quarta-feira, tivemos no prédio, a pedido da respectiva administração, uma inspecção ao gás. A ideia seria ver todos os apartamentos do prédio. Veio cá uma empresa certificada pela Galp Gás que, após verificação numa das tubagens comuns, achou que havia uma fuga. E, de imediato, ligaram à Galp Gás informando o sucedido, o que levou a que estes cortassem o gás ao prédio todo de seguida. Falamos em 72 apartamentos e muitas mais pessoas, claro.

Reunião de emergência no prédio, claro, e ficou acordado que, no dia seguinte, chamariam outra empresa certificada pela Galp Gás – a outra também era, como são todas – para confirmar o então verificado pela primeira empresa. Ah! é que esta pediu € 17.000 para resolver a fuga!

Resultado: esta segunda empresa, que veio cá na quinta, dia seguinte, não detectou qualquer fuga. Para que a certeza de tal resultado fosse absoluta, foi chamado o Instituto de Soldadura e Qualidade para confirmar. Assim aconteceu.

Foi então comunicado à Galp Gás do que se passava – apenas eles têm o poder de abrir e fechar a conduta geral do gás – solicitando a reabertura imediata do gás ao prédio (aos tais 72 apartamentos e, se considerarmos umas 2 pessoas em média por apartamento, seriam 144 pessoas, sem falar em cães, gatos e macacos). Disseram então que viriam no dia seguinte, ou seja, sexta-feira, o que não veio a acontecer.

Resultado: vieram apenas na terça seguinte, ou seja, anteontem. E com uma brincadeira destas, estivemos 6 dias sem gás, a tomar banho de água fria e isto para não falar na cozinha.

Claro que apetecia meter um processo a esta primeira empresa que fez tal artistice mas, tendo em conta o estado da justiça em Portugal (será apenas em Portugal?) não o vamos fazer. Se assim fosse, daqui a uns anos ainda andaríamos em tribunal com resultados imprevisíveis.

Mas continuando…
Só que a brincadeira não acabou aqui. Inspeccionaram todos os apartamentos também e, à mínima coisa, não aprovavam e instalação e por isso, não ligavam o gás. Uma das razões  - e fui entretanto avisado disso – era o tubo de ligação do gás da parede ao fogão. Teria que ser recente. O meu indicava 2005 como prazo de validade e por isso já sabia que seria chumbado. Assim sendo, fui comprar um tubo novo e instalei-o.

   TuboCompleto                    TuboInicial2005

 

 

TuboComPontasCortadas Ora aqui começa a parte gira e associação de ideias. Eu bem que puxava o tubo que lá estava mas nada de sair tal era o aperto em que estava (isto depois de tirar as braçadeiras). Lembrei-me de ir buscar uma faca e cortei as duas pontas do tubo pelas extremidades. E lá consegui tirá-lo.  E nesta altura, já pensava como iria conseguir meter o novo lá. Bem que tentei, tentei, rodava o tubo enquanto tentava meter mas nada. Aí, lembrei-me de que tem tanta coisa que só entra com lubrificante… ou melhor, se calhar até conseguia meter assim mas a muito custo.

 

Foi nesta altura que me lembrei – imaginem para onde foi esta cabecinha – do filme O Último Tango em Paris. Será que se lembram do filme ?  Marlon Brando ? A cena da manteiga ? Pois…  E tomando a ideia, fui buscar óleo de cozinhar, besuntei as pontas e, com o dedo, meti um pouco dentro também e… ai ai ai… aí entraram as duas pontas tão bem num deslizar perfeito, sem qualquer esforço…

E fiquei com a minha cabeça, depois de tudo isto, não na chatice do gás e ter tomado banho de água fria durante quase 1 semana – não falando na cozinha – mas sim na cena da manteiga, no Marlon Brando e de tudo o que lhe está associdado. Ah! e uma coisa mais… que devo ter sempre comigo um lubrificante, seja ele qual for… é que, realmente, assim é bem mais fácil…

 

E para ver a cena do Last Tango in Paris, butter scene…  Clicar aqui

(gostaria que fosse com a voz do Marlon Brando mas não encontrei. Sorry pelo assassínio da cena com a música de fundo que tem)

domingo, 31 de maio de 2009

Wondering

 

Queres saber a Verdade ?

                    

                    E tens tomates para isso ?

                                                            

                                                       Eu tenho…

Notinha: just a thought …

quinta-feira, 21 de maio de 2009

tão fácil…

 

Malmequeres

a trabalhar agora, com esta vista e ouvindo esta música…

pequenas grandes coisas de que a nossa Vida é composta…

é tão fácil podermos ser felizes… basta não desejar ter sempre tudo ou mais e mais…

          enjoy…

 

 

segunda-feira, 11 de maio de 2009

quinta-feira, 7 de maio de 2009

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Not easy at all…

 

Cristo_Dali

 

Por vezes, é preciso sofrer e muito para alcançar uma felicidade, um gozo  de outra galáxia…

nem sempre com sucesso…

not easy at all…

Notinha: Não sou sado-maso, ok?

 

 

. . .

e um ser

.

complexo

.

 não é

.

para ser

.

descoberto

.

por qualquer um

.

by RedLightSpecial

. . .

terça-feira, 28 de abril de 2009

Fazer “asneiras” é o que nos faz ser humanos

 

Fazer “asneiras” é o que nos faz ser humanos…

 

É onde vamos buscar alegria… 

            nas coisas que não planeamos…

                        nas coisas que não pensamos…

 

in Grey’s Anatomy

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Sigilo Bancário – séria problemática !

 macacaRir
A tal funcionária do Montepio pensando na problemática do sigilo bancário…

 

Local: Banco Montepio, Praça de Londres, hoje.

Eu: Queria depositar €50 euros na conta de “fulana tal” (dei nome completo), se faz favor.

Funcionária: Qual o número de conta ?

Eu: Não sei. “Fulana tal” pediu-me para depositar este valor na sua conta e já não é a primeira vez que o faço mas em outra dependência, bastando para isso o nome completo.

Funcionária: Se não me der o número da conta, não posso fazer o depósito.

Eu: Mas porquê ? Pode ver o número da conta através do nome.

Funcionária: Nunca ouviu falar de sigilo bancário ? E se o senhor apenas quisesse saber se “Fulana tal” tinha conta neste banco ? Tem que me dizer o número da conta.

Eu: Devem estar todos loucos !  (mas a pensar que o que deveria ter feito era pôr-me a rir dela, à sua frente).

E vim-me embora.

Fui a outra dependência do Montepio onde, claro, bastou dar o nome e fazer o depósito.

Sem comentários.

sábado, 18 de abril de 2009

Nunca julgar as pessoas pela sua aparência…

 

Além de ser injusto, pode dar mau resultado…

 


Arrepiante… não é ?  E um sorriso constante depois…

Olhos húmidos ? Pois…

Para pensar…

Experimentar uma coisa nova,

                                                       

 

                                            não implica perder outra…

In Swingtown, Foxlife, 17Ag09.

 

quarta-feira, 8 de abril de 2009

We’re the cause but we’re also the solution

 

sifakaLemur_5

Sifaka Lemur é apenas uma entre as milhares de espécies que irão ser extintas brevemente devido ao  aquecimento global do planeta.

 

sifakaLemur_1 sifakaLemur_2 sifakaLemur_3 sifakaLemur_4

 

we’re are the cause but we’re also the solution…

sim, todos o dizem e sabem, mas who cares…

ora foda-se !

domingo, 5 de abril de 2009

Políticos – Mais um escândalo !!! – Chrome, browser a experimentar

Como se os escândalos com os políticos não fossem já suficientes, agora mais este!!!!

E porque não posso eu fazer o mesmo??????

Uma vergonha!!!

_________________________________________________________________________________

“PARLAMENTO

Palavra dos deputados "faz fé" para justificar faltas

por FRANCISCO ALMEIDA LEITEHoje

Jaime Gama ordenou mudanças no regime de presenças e faltas, mas deputados podem faltar cinco dias sem apresentar justificação.

"A palavra do deputado faz fé, não carecendo por isso de comprovativos adicionais". É esta a redacção do ponto sete do novo regime de presenças e faltas dos deputados em plenários, que o presidente da Assembleia da República fez aprovar. Jaime Gama acabou por deixar a possibilidade de os deputados poderem alegar ausência por motivo de doença sem que para isso seja necessária a apresentação de quaisquer justificativos nos primeiros cinco dias. Excepto quando a doença "se prolongue por mais de uma semana". Ou seja, um deputado que falte e que com isso impeça ou prejudique uma votação pode invocar doença sem que tenha que apresentar qualquer tipo de atestado médico.”

 

Chrome – browser do Google a experimentar

Já uso este browser há algum tempo e depois de alguns testes, recomendo vivamente. Ainda não disponível para Mac - http://www.google.com/chrome

domingo, 29 de março de 2009

Entendendo a actual crise financeira

 Uma forma bem curiosa de explicar a actual crise financeira. Na realidade, as coisas não se passaram de forma muito diferente desta que aqui se conta… vejam bem…

sábado, 28 de março de 2009

Música Digital

Um artigo que tirei do Jornal de Negócios que, por creio ser do interesse de grande parte das pessoas, aqui transcrevo.

_________________________________________________________________________________________

Música a toda a hora e em qualquer lado

Estão a multiplicar-se as lojas de música digital, com iniciativas que concorrem com o "download" pirata e a venda de CD, e que atraem cada vez mais os utilizadores. A mais recente protagonista neste concorrido mercado é a Nokia.


 

As lojas de música digital estão a ganhar peso nas opções dos compradores, enfrentando o "download" pirata, o que é potenciado pelo crescimento do número de leitores de MP3 e de telemóveis especialmente desenhados para "dar" música.
Os primeiros movimentos da indústria neste sentido têm pouco mais de uma dúzia de anos, mas a taxa de crescimento das vendas tem sido estrondosa, provando que a música legal continua a ganhar terreno face à pirataria. Os preços competitivos a que as faixas e álbuns são vendidos e a facilidade de utilização dos serviços e sincronização com os leitores de media justificam este movimento. Mas é preciso não esquecer a campanha intensa que a indústria da música desenvolveu contra a pirataria, que gerou milhares de processos nos Estados Unidos, e também na Europa, contra o "download" sem pagamento de direitos de autor.
As primeiras lojas a surgir foram baseadas na Internet, inicialmente com pouca ligação à indústria da música e aos fabricantes de leitores de MP3, o que dificultava a sua visibilidade e a compatibilidade com os equipamentos. A iTunes Store, da Apple, veio criar uma mini-revolução, tirando partido do interesse à volta do seu leitor de música iPod e dos números de vendas que ultrapassam largamente o número de fãs Mac no mundo.
Até Janeiro deste ano, já tinham sido vendidos mais de 200 milhões de iPods em todo o mundo, uma base de utilizadores que garante a popularidade da loja de música da Apple, até porque é a única que podem usar, pelo menos de forma legal.
O crescente interesse dos utilizadores pela música digital levou, também, os fabricantes de telemóveis a produzir equipamentos híbridos, com capacidades avançadas de leitores de música, um conceito que a SonyEricsson levou ao extremo com a linha Walkman e que a Nokia tem vindo a explorar com sucesso em vários modelos, mas especialmente na série XpressMusic lançada no ano passado.


Uma questão de DRM
A utilização de sistemas de gestão de direito de autor nas músicas, conhecido pela sigla DRM, é uma exigência da indústria da música contra a qual muitos utilizadores e associações se insurgem. Apesar de as músicas serem compradas legalmente, estes sistemas limitam o número de dispositivos para os quais podem ser copiadas, o que já foi considerado uma violação do direito à cópia privada. A maior parte dos sistemas de DRM dá ao utilizador a possibilidade de gravar o ficheiro em, pelo menos, três a cinco "medias", entre leitores digitais, PC, CD e telemóveis. Mas, terminadas estas gravações, o utilizador deixa de poder dispor da música, ao contrário do que acontece se for comprar o CD à loja, caso em que pode "ripá-lo" e gravar as faixas para o número de suportes que quiser. Algumas lojas "on-line" começaram já a disponibilizar ficheiros livres de DRM, como é o caso da iTunes Store, mas estes são, normalmente, músicas mais antigas e não os êxitos do momento.


Cuidado com os custos da música nos telemóveis
Não é pelo preço das músicas, que é igual ao das lojas na Internet (e mais elevado na Optimus Music Store na Internet e no telemóvel), rondando, normalmente, um euro. O problema dos custos da compra de faixas no telemóvel está no tráfego de dados que exige, dado o "download" dos ficheiros que pesam habitualmente mais de dois MegaBytes. Quem não tem um plano de preços com tráfego de dados incluído pode ter surpresas desagradáveis na conta ao final do mês ou esgotar rapidamente o "plafond". Uma atenção que deve ser redobrada no caso de utilizadores adolescentes, dada a apetência que têm por esta área.



Da Internet para os móveis
Este movimento não passou despercebido aos operadores móveis que viram esta área como mais um potencial para venda de conteúdos, criando as suas próprias lojas acessíveis nos telemóveis e na Internet. Em Portugal, a Optimus, a TMN e a Vodafone têm as suas próprias lojas, cuja utilização estenderam também ao computador pessoal, concorrendo directamente com outras plataformas.
As adições mais recentes a este competitivo mercado no panorama português vêm, precisamente, de duas marcas de telemóveis que já lançaram a nível internacional as lojas de música, com compatibilidade garantida com os equipamentos da marca, a SonyEricsson e a Nokia. A Music Store da Nokia foi lançada a meio da semana passada e demonstra um grande esforço de localização do catálogo e de aposta na música portuguesa, com a envolvente de concertos e a criação de um sentimento de comunidade.
A tendência a seguir é no sentido de esbater cada vez mais as fronteiras, com a criação de serviços multiplataforma que trazem mais comodidade aos utilizadores mas que ainda não ultrapassam múltiplas barreiras, como a incompatibilidade entre diferentes formatos de ficheiros e as limitações impostas pelos sistemas de gestão dos direitos de autor, conhecidos pelas siglas DRM, que impedem a gravação em diferentes equipamentos. As próprias fronteiras geográficas são uma limitação, com sistemas de gestão de direitos de autor específicos para cada território, o que obriga o utilizador a comprar as músicas na loja "on-line" do seu país, mesmo que a plataforma seja internacional, como acontece no iTunes.
A libertação dos DRM é uma transformação já em curso em alguns dos serviços, mas há ainda muito caminho a percorrer para que a música "on-line" se liberte de todos estes obstáculos.


Opções limitadas
Entre as lojas acessíveis aos utilizadores portugueses, escolhemos sete serviços que têm políticas distintas em termos de acessibilidade e preços, mas que conjugam, na sua maioria, a disponibilidade de compra no PC e no telemóvel. As diferenças de preços existem e são notórias, principalmente no serviço da Optimus que é o mais caro de todos, vendendo faixas a 1,5 euros quando a maioria pratica preços de 99 cêntimos.
Entre as sete lojas visitadas, a maioria assenta no "download" de uma aplicação para gestão das músicas, o que pode limitar as escolhas em termos de sistemas operativos usados e, também, de navegadores Internet. As lojas da Optimus e da Vodafone só funcionam com o "browser" Internet Explorer, da Microsoft, enquanto a da Nokia tem funcionalidades limitadas com outros "browsers", dando apenas acesso a algumas componentes.
De destacar, ainda, a originalidade da loja da TMN, a MusicBox, que em vez da venda por faixas opta pelo serviço de "download" ilimitado com assinatura semanal ou mensal. Mas as músicas podem ser escutadas apenas enquanto continuar a pagar a assinatura.
Mais do que pelo preço e funcionalidades, as opções podem passar pela compatibilidade de formatos. É natural que os utilizadores dos telemóveis Nokia ou SonyEricsson optem pelas lojas da marca, ou pelas dos seus operadores móveis, não comprando "na concorrência". O mesmo se aplica aos leitores de música da Apple que ficam limitados à iTunes Store. Mas estes são condicionalismos que os utilizadores vão ter de suportar, enquanto não existir uma verdadeira interoperabilidade na música digital.


Sete lojas de música para o telemóvel e o computador
Não são todas iguais nos serviços nem nos preços. A escolha pode depender da fidelidade a um leitor de música, a uma marca de telemóvel ou a um operador. Conheça sete soluções.


iTunes Store
http://www.apple.com/pt/itunes
Usa DRM - Sim, mas tem um catálogo de mais de oito milhões de músicas livres.
Preços - Entre 69 cêntimos e 1,29 euros por música.
Suporte para telemóvel e computador.
Obrigatório o uso do iTunes (Para Mac e PC).
A iTunes Store popularizou a venda "on-line" de música e está ligada de forma perfeita aos leitores iPod e telemóvel iPhone. Com 20 milhões de músicas disponíveis, é de longe a loja mais completa e está a disponibilizar já um catálogo significativo de músicas sem DRM. Mas o formato de ficheiros limita a utilização generalizada por outros leitores de música, embora seja possível fazer a conversão para MP3.



MúsicaONline
http://musicaonline.sapo.pt/
Usa DRM - Sim.
Preços - Faixas a partir de 99 cêntimos.
Suporte só para PC.
Funciona "on-line" e não exige instalação de leitor dedicado.
De origem portuguesa, esta loja funciona apenas no PC e é acessível via "browser", não exigindo a instalação de nenhuma aplicação adicional. Os ficheiros são vendidos em formato WMA e podem, depois, ser ouvidos no computador com Windows, através do Windows Media Player, ou gravados num leitor de música que suporte este formato. O catálogo de músicas é mais limitado e está sujeito a sistemas de DRM, com o número de gravações para outros formatos limitado. 


Nokia Music Store
http://music.nokia.pt/
Usa DRM - Sim.
Preços - Um euro por faixa.
Suporte para telemóvel e PC.
Serviço de "streaming" por 10 euros por mês.
Acabadinha de estrear em Portugal, a loja da empresa finlandesa replica muitas das funcionalidades já usadas nos 14 países onde está em funcionamento e estreia a integração de vídeo. A Nokia fez, também, uma grande aposta no catálogo nacional e, entre as cinco milhões de músicas à venda, conta já com 80% das músicas digitais disponíveis em Portugal. A loja exige a instalação de um leitor, o Nokia Music, no computador, e a navegação está limitada em "browsers" alternativos ao Internet Explorer.


Optimus Music Store
htttp://optimus.pt.web.store.musiwave.com/
Usa DRM - Sim.
Preços - 1,5 euros por música.
Suporte para telemóvel e PC.
A loja da Optimus é a que tem os preços mais elevados por faixa de música, cobrando 1,5 euros, enquanto outras têm preços a partir de 69 cêntimos. O serviço está, também, limitado na Internet a quem tem o "browser" Internet Explorer, da Microsoft, mas não obriga à instalação de nenhum "player" específico, sendo as músicas escutadas a partir da página "web", ou no portal acedido no telemóvel.



Sony Ericsson Play Now Arena
http://www.sonyericsson.com/playnow5-web
Usa DRM - Sim.
Preços - A partir de 99 cêntimos por música.
Suporte para telemóvel e PC - Sim.
Também ainda com a tinta fresca, a loja Play Now Arena da SonyEricsson junta música com toques, jogos e outros conteúdos para os telemóveis. O suporte aos telemóveis da marca está garantido e não testámos outros modelos, mas o formato é o WMA, compatível. O serviço conta com mais de cinco milhões de faixas, a maioria das quais está protegida por DRM, mas onde há, também, ficheiros em modelo livre.



TMN MusicBox
http://www.tmn.pt/
Usa DRM - Sim.
Preços - 1,99 euros por semana para "downloads" ilimitados.
Suporte para telemóvel e PC - Sim.
A MusicBOX da TMN distingue-se das lojas de música dos outros operadores móveis pelo serviço de "download" ilimitado por 1,99 euros por semana ou 6,99 euros por mês. As músicas nunca chegam a ser do comprador, já que só podem ser ouvidas enquanto a subscrição do serviço estiver activa. A opção pode ser interessante para quem não quiser guardar as músicas noutros dispositivos ou em CD. O serviço pode ser activado por SMS.



Vodafone Music Store
http://www.vodafone.pt/main/live/ ToquesMusica/Music_Store.htm
Usa DRM - Sim.
Preços - 0,99 a 1,48 euros.
Suporte para telemóvel e PC - Sim.
O serviço também só é acessível no computador com um "browser" da Microsoft mas faz a ponte entre o PC e o telemóvel, sendo o valor cobrado na factura mensal ou deduzido no saldo do cartão. Todas as músicas podem ser gravadas em cinco CD no máximo, ou em cinco telemóveis.


Vantagens e desvantagens

- Maior qualidade de som .
- Integração facilitada com os leitores de música e telemóveis.
- Repositórios que permitem recuperar facilmente músicas apagadas ou perdidas.
- Cumprir as leis de direito de autor.


- Limitação do número de suportes de gravação devido aos DRM.
- Limitação em termos de formatos que podem ser incompatíveis com outros leitores de música ou telemóveis.
- Restrições de compra a nível geográfico pela gestão territorial dos direitos de autor.
- Algumas lojas têm catálogos limitados, baseados nos êxitos recentes e esquecendo bandas menos conhecidas ou música mais antiga.

 

by: Fátima Caçador/Casa dos Bits

sábado, 14 de março de 2009

AntigosAlunos.net

 

AntigosAlunos

Foi inaugurado esta semana o site antigosalunos.net, destinado ao reencontro de antigas amizades dos nossos tempos de estudo ou mesmo de qualquer tipo de cursos pós-graduação ou afins. Na base de dados, encontram-se incluídos todos os tipos de instituições, desde jardins de infância até universidades. As que não se encontrarem na base de dados~(instituições ou cursos), está previsto o envio facilitado, para o site, de uma info, pelo utilizador, de um mail solicitando a inclusão da instituição/curso em falta.

Foi sentida uma dificuldade acrescida devido ao processo de bolonha e classificação de cursos, uma vez que grande parte deles mudou de nome.

Por ter sido agora inaugurado, é natural que se encontram algumas falhas ou imperfeições (muitas ?) mas que se esperam ir sendo melhoradas através do feedback dos utilizadores.

E porque coloco este site aqui com tanto destaque ? Porque, de alguma forma, é um projecto ao qual me sinto fortemente ligado. Simpatia a vossa seria sentida através dos vossos comentários ( aiiiiiiiii é a primeira vez neste blog que peço comentários… ahahahahahahhaah).

terça-feira, 10 de março de 2009

Problemas que poderiam ser evitados se o casal falasse entre si…

A mulher está na cama com um amigo e de repente ouve o barulhoda chave na fechadura. Fica nervosa, principalmente, porque nos apartamentos modernos não há espaço debaixo da cama, estão a 20 andares de altura, não há armários... e, de repente, ela diz ao amante:

   - Querido, fica tranquilo e faz tudo o que eu disser. Fica ali de pé, como se fosses um robot, sem pestanejar.

O marido entra:
- Olá amorzinho! Olha, anteciparam o voo e eu cheguei um dia antes... mas... quem é esse tipo e que merda está aqui a fazer nu, aí plantado?

  A mulher sorri e responde: 
- Como me tens abandonado com essas viagens e reuniões, resolvi comprar este 'robot escravo sexual modelo RTSEX-2007'. Vem, aproxima-te... toca-o... Tem pele de verdade; é arrefecido a água; gasta pouco, processador de 256 bites, ligação GPRS à Internet, actualizações automáticas, etc, etc...

- Mas, amor... Havia necessidade disso? – diz o corno

- E o que querias? Que me enrolasse com algum vizinho ou com o porteiro do prédio?

- Está bem, deixa-te de parvoíces e vamos para a cama - disse ele. 

A mulher, que já estava cansada, responde: 
- Ai, fofinho, é que... me dói a cabeça e além do mais eu estou naqueles dias...

- Que má sorte a minha. Então, porque não vais arranjar qualquer coisa para eu comer? 

A mulher sai do quarto e vai para a cozinha. O marido, que ficou a sós com o suposto 'robot', olhando-o diz: 
- Se este invento é bom para a minha mulher, também vai servir para mim. 

E então, puxa-o pelo braço, atira-o para cima da cama, põe-o de quatro e quando está a ponto de partir para os finalmente, o robot diz nervosamente e com a voz mais metálica e robótica que consegue:

- 'ERRO! ERRO DE SISTEMA, ENTRADA INCORRECTA! ERRO! ERRO DE SISTEMA, ENTRADA INCORRECTA'

O marido mira-o de alto a baixo, sobe as calças e diz:

- Que se lixe a merda do robot moderno. Vou atirá-lo agora mesmo pela janela fora... 

O amante, assustado ao lembrar-se dos 20 andares do prédio,grita com a mesma voz metálica:

- SISTEMA ACTUALIZADO! DOWNLOAD DE SOFTWARE COMPLETO! POR FAVOR, TENTE DE NOVO!

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Máximas brilhantes

 

dennycrane

“Enquanto estivermos juntos, podes ir para a cama com quem quiseres”

Denny Cranne
Boston Legal